quarta-feira, 17 de março de 2010

127 - ATIVIDADES ENXADRÍSTICAS AGUARDAM APOIO


Para o ano de 2010 um longo e meticuloso trabalho de planejamento foi realizado, demonstrando a necessidade de apoio às atividades ora propostas. De certo, como todos podemos ver em nossa cidade e região, o esporte tem perdido para muitos eventos que pouco impactam positivamente, pois os eventos sempre são vistos com o olhar político e não com o olhar social.


Desenvolvemos vários projetos sempre pensando na base, na oferta de opção para jovens escolares com a realização de torneios e campeonatos para as categorias Sub-12, 14, 16, 18, trabalhos assim, priorizando a juventude nem mesmo a Federação Paraense realiza. Não é uma crítica, apenas uma constatação.


Planejamos a realização de um projeto itinerante denominado: Projeto Tabuleiros, que, recebeu algumas sugestões para uma nova nomenclatura: Projeto Fazer o Bem Faz Bem, desde que recebesse apoio para as palestras de conscientização quanto a reciclagem de embalagens plásticas e de conscientização quanto aos riscos do uso de drogas, considerando que a violência e acidentes de carros estão intimamente ligados ao uso de drogas. Este projeto, uma espécie de ação social massifica a prática de alguns esportes de tabuleiros populares como o ping-pong, dominó, damas e o xadrez, importante oportunidades aos jovens, principalmete os residentes em bairros periféricos.


O Clube também se preocupou em atender a reivindicação de alguns municípios como Tucumã, recém iniciado na prática do Xadrez, de Abel Figueiredo onde o município apoia com todo gás o xadrez nas escolas, além de Redenção e outras cidades. Pois bem, a 2ª Copa Sudeste do Pará já conta com a adesão de 09 municípios, sendo considerado, de antemão, no Estado do Pará o Campeonato de Xadrez com o maior número de municípios participantes.


Outra ferramenta importante na difusão do Xadrez é o Projeto Aprendendo Xadrez nas Escolas, encaminhado aos prefeitos dos municípios da região Sudeste, ou seja, a oportunidade de oferecer um instrumento pedagógico reconhecidamente eficaz.


Para tentar resolver boa parte dos problemas do Clube, da falta de um local para nossos projetos, ofícios foram encaminhados no dia 12 de fevereiro e até agora aguardamos uma resposta. O nosso sentimento em relação a falta de uma resposta é de uma frustração enorme. Nossa cidade possui poucos projetos sociais e somos conhecidos e reconhecidos no Brasil por sermos: a 12ª CIDADE MAIS VIOLENTA NO PAÍS e, a 2ª CIDADE MAIS VIOLENTA PARA JOVENS, resultado de anos e anos sem uma política social, esportiva e cultural. Enfim, precisamos, a cidade precisa desenvolver e fometar projetos sociais, educativos, artísticos e culturais. O jovem precisa ser amparado e queremos dar a nossa contribuição.


Enquanto as coisas não acontecem, pois já não temos o tempo que passou, nos resta esperar pelas respostas. Esperamos que as coisas mudem, mudem para melhor.

domingo, 14 de março de 2010

126 - ZÉ DUDU DIVULGA 2ª COPA SUDESTE
































Passando a vista nos diversos blogs elencados na página do conceituado Hiroshi Bogea, ao abrir a página do Zé Dudú, a surpresa, o apoio e a divulgação da 2ª Copa Sudeste do Pará de Xadrez, postado neste 14 de março. Agradeço ao blogueiro a força. Valeu.


Se o Xadrez é Jogo, Arte e Cultura, já poderia ser algo importante às escolas. Mais, o Xadrez é muito mais do que isso. Até uma criança recém iniciada consegue compreender a importância desta prática esportiva.


Por outro lado, é lamentável que muitos educadores desconhecem a literatura enxadrística, como é o caso do belo libro: A importância do Xadrez, do goiano Rubens Filguth, onde aborda diversos projetos já implantados no Brasil e outros países. O livo é enriquecedor em argumentos e justificativas para desenvolver a capacidade intelectual, como: desenvolvimento do raciocínio, poderes de atenção e concentração, memória, autonomia, disciplina e muitos outros.


A importância da aprendizagem e da prática do Xadrez na infância e na adolescência vem sendo comprovada por inúmeras pesquisas realizadas tanto em países desenvolvidos como em países de terceiro mundo. Atualmente, admite-se que a atividade enxadrística favoreceu o desenvolvimento mental de crianças, além de lhes impor uma disciplina atrativa e agradável, quando ele é introduzido nas classes de baixo rendimento escolar, auxilia o desenvolvimento do sentimento de autoconfiança, visto que apresenta uma situação na qual os alunos tem a oportunidade de descobrir uma atividade onde podem se destacar e paralelamente progredir em outras disciplinas acadêmicas.


Nosso país é uma nação próspera e com uma imensa capacidade de desenvolvimento. Mas existe um ponto fraco: A educação. Justamente a área que deveria receber mais investimentos carece de atenção. Porém, existem pessoas preocupadas com esta situação, que desenvolvem projetos para a obtenção de melhores resultados por parte dos alunos em suas instituições e em sua vida. A partir desta premissa, vem surgindo um movimento de se implementar o xadrez nas escolas de nosso país. O xadrez na escola é um projeto defendido por educadores, professores e psicólogos e outros, com o objetivo de levar o jogo para, cada vez mais pessoas, especialmente para as crianças, para que desde cedo aprendam o jogo e possam se desenvolver como pessoas e profissionais. E o Clube de Xadrez Marabá acredita neste sonho e apóia todos projetos escolares já implantados e em implantação na cidade de Marabá e região. Aliás, todos os gestores municipais da região sudeste receberam o Projeto Aprendendo Xadrez na Escola, uma importante instrumento pedagógico. A conferir o resultado.