sábado, 18 de fevereiro de 2012

537 - A FAMÍLIA ADDAMS - ANJELICA HUSTON

Sinopse
Os Addams, uma família macabra, correm o risco de perder seu tesouro de moedas de ouro, pois Tully Alford (Dan Hedaya), um advogado desonesto de quem os Addams são clientes, está em sérias dificuldades financeiras. Para não ter "problemas de saúde", pois Abigail Craven (Elizabeth Wilson) e o filho Gordon (Christopher Lloyd), seus credores, estão dispostos a fazer qualquer coisa para receber o dinheiro, Alford tem uma idéia ao notar que Gordon é muito parecido com Fester, o irmão de Gomez, o chefe da família, que há 25 anos quer encontrar seu irmão. Assim Gordon finge ser Fester e na casa tenta encontrar a fortuna que paga os gastos de Gomez, Mortícia (Anjelica Huston), Vandinha (Christina Ricci) e Pugsley Addams (Jimmy Workmen). Mas o plano não é tão simples como parece, pois os Addams são uma família bem peculiar. Além disto Gordon se sente tão bem sendo Fester que começa a se sentir como parte da família.


Informações Técnicas
Título no Brasil: A Família Addams
Título Original: The Addams Family
País de Origem: EUA
Gênero: Comédia
Tempo de Duração: 99 minutos
Ano de Lançamento: 1991
Direção: Barry Sonnenfeld


Curiosidade
Orçamento US$ 30 milhões
Receita US$ 191.502.426


Elenco
Anjelica Huston como Mortícia
Raul Julia como Gomez
Christopher Lloyd como Tio Fester / Gordon
Cristina Ricci como Wednesday
Judith Malina como Vovó
Jimmy Workman como Pugsley
Carel Struycken como Lurch
Christopher Hart como Coisa
Elizabeth Wilson como Abigail Craven
Dan Hedaya como Tully Alford
Dana Ivey como Margaret Alford
John Franklin como Primo It

Fontes:


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

536 - OLIVER TWIST - ROMAN POLANSKY

O longa Londrino do diretor Roman Polanski, é uma aplicação cinematográfica do romance do escritor Charles Dickens, de 1938. Diversas aplicações do romance de Dickens foram feitas ao longo dos anos, tendo como destaque a versão de Polanski, que levou o Prêmio Toronto International Film Festival em 11 de setembro de 2005.

O filme retrata a vida de um garoto órfão, honesto, em meio a delinqüência provocada pela condição precária da sociedade inglesa na época.

O roteiro de Ronald Harwood relata de forma interessantíssima a precariedade da vida social dos garotos de rua, adotados pela curiosa personagem Fagin – um velho ambicioso, que adota e treina garotos para que pratiquem pequenos furtos pelo centro da cidade.

Oliver vivencia aventuras e desventuras concedidas por sua condição de pobre e órfão, explorado pelos burgueses e empreendedores locais. A direção de arte de Jindrich Kocí cinematiza a degradação social da época de um modo autentico, lúcido e criativo.

O casamento da fotografia de Pawel Edelman, de cores frias e cinzentas, com a direção de arte "suja" é perfeito, pra não dizer genial.O roteiro é inteligente e bem aplicado, e o filme muito bem produzido, visto do ponto de vista artístico. Por fim, esse vale a pena.


Sinopse
Oliver Twist (John Howard Davies) nasceu em um orfanato, sendo que logo após o parto sua mãe morreu. Foi ali que Oliver passou os primeiros anos da sua vida, até que um dia pediu mais comida e por esta razão foi cedido para o Sr. Sowerberry (Gibb McLaughlin), o dono de uma funerária, que também recebeu cinco libras para ficar com o garoto. Na funerária Oliver fica trabalhando como seguidor de féretro em enterros de crianças. Repentinamente chega na funerária uma mulher agonizante, que estava presente quando a mãe de Oliver morreu. Esta mulher ficou de posse de um pertence da falecida e diz que Oliver teria sido melhor tratado se soubessem quem ele era. Logo depois a mulher morre e pouco tempo depois Oliver briga com Noah Claypole (Michael Dear), que trabalhava na funerária e sempre o humilhava. Desta vez Noah falou mal da mãe de Oliver, que acabou levando uma surra injustamente. Oliver foge para Londres, onde acaba se unindo a uma grupo de jovens delinqüentes liderados por Fagin (Alec Guinness), um vigarista que usa as crianças para cometer pequenos roubos. Mas algo acontecerá que mudará sua vida.


Título original: Oliver Twist
Lançamento: 2005 (República Tcheca, França, Itália, Inglaterra)
Direção: Roman Polanski
Duração: 130 min
Gênero: Drama

Elenco
Ben Kingsley (Fagin)
Mark Strong (Toby Crackit)
Ophelia Lovibond (Bet)
Barney Clark (Oliver Twist)
Jamie Foreman (Bill Sykes)
Harry Eden (Artful Dodger)
Leanne Rowe (Nancy)
Lewis Chase (Charley Bates)
Edward Hardwicke (Sr. Brownlow)
Jeremy Swift (Sr. Bumble)
Frances Cuka (Sra. Bedwin)
Chris Overton (Noah Claypoole)
Michael Heath (Sr. Sowerberry)
Gillian Hanna (Sra. Sowerberry)
Alun Armstrong (Sr. Fang)
Paul Brooke (Sr. Grimwig)
Jake Curran (Barney)


Curiosidades
Mais uma versão
Refilmado anteriormente como Oliver Twist (1948), Oliver! (1968), Oliver Twist (1982), Oliver Twist (1985), As Aventuras de Oliver Twist (1997) e Twist (2003);

Ideia de mãe
A ideia dessa nova versão de "Oliver Twist" foi da esposa de Polanski, Emmanuelle Seigner (Lua de Fel), que queria um filme onde seus filhos pudessem interessar seus filhos.

Primeiro filme
Estreia da atriz Ophelia Lovibond no cinema.
Também é o primeiro filme de Elvis Polanski, filho do diretor, e de sua irmã Morgane Polanski.

Inspiração nos cenários
Boa parte dos cenários do filme foram inspirados no trabalho do ilustrador Gustave Doré, que curiosamente nunca ilustrou nenhum trabalho do autor Charles Dickens.

Exageros nos bastidores
Os cenários eram tão grandes que Polanski passou a usar uma motocicleta scooter para se locomover.

Troca de atores
Inicialmente seria Frank Finlay o intérprete do Sr. Brownlow, mas o papel acabou ficando com Edward Hardwicke.

Passando pelo Brasil
Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2005.

Bem na Europa, mal nos Estados Unidos
O longa faturou cinco vezes mais na Europa do que nos Estados Unidos.


Comentários
08/11/2009 Por: Natália Pires (11 anos)
Meu professor de literatura passou esse filme para a nossa sala esse ano... Um monte de gente chorou (inclusive eu), esse filme é lindo, maravilhoso, tudo de bom! Amo muito.

18/01/2011 Por: Daniela de Oliveira (15 anos)
Quando eu assisti o filme fiquei pensando em como o autor foi criativo e cuidadoso com cada detalhe. A minha professora de filosofia que passou pra nossa sala ver na aula dela. E depois disso comprei o DVD, pois eu amei o filme tanto é que não canso de ver.

24/04/2011 Por: Betania Melo (47 anos)
O protagonista em meio aos rumos de perdas da sociedade básica humana, que é a família, pôde resignadamente inserir dentro dos novos grupos sociais, embora contestasse com os valores destes. Uma vez que o personagem atinge a moral de sua mãe, e outras vezes quando relutou a não abordar a casa do fidalgo para roubos. O seu caráter estava acima das adversidades e a sua conduta moral foi única do principio ao fim, o que nos comove por ser uma criança.


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

535 - O GUARDA COSTAS - WHITNEY HOUSTON - 1992

O SBT - Sistema Brasileiro de Televisão - exibiu, nesta terça, dia 14/02, o filme O Guarda Costas, com Kevin Costner e Whitney Houston - falecida neste sábado, dia 11. No filme, Whitney interpreta um dos seus maiores sucessos, "I Will always love you", canção gravada originalmente em 1974, mas que fez sucesso mundial na voz da cantora americana. As causas da morte ainda são desconhecidas, mas suspeita-se de afogamento, já que Whitney foi encontrada morta no banheiro do hotel em que estava hospedada, em Los Angeles.


Sinopse: Whitney Houston interpreta Rachel Marron, uma estrela da música e cinema em seu auge. Os fãs querem vê-la. Ouvi-la. Tocá-la. Mas um deles quer matá-la – é aí que entra Frank Farmer (Kevin Costner), especialista em segurança, vulgo Guarda-Costas. Se por um lado Farmer é um profissional que nunca baixa sua guarda, Rachel, que sempre teve controle de sua vida glamurosa, também quer estar no comando. Mas conseguirão comandar seus sentimentos? Escrito por Lawrence Kasdan e dirigido por Mick Jackson, O Guarda-Costas traz suspense, emoção, romance, perigo, paixão é uma trilha sonora certamente posicionada entre as mais célebres do cinema – além do brilho de duas grandes estrelas.


Elenco completo
Kevin Costner (Frank Farmer)
Whitney Houston (Rachel "Rach" Marron)
Debbie Reynolds (Debbie Reynolds)
Gary Kemp (Sy Spector)
Bill Cobbs (Bill Devaney)
Ralph Waite (Herb Farmer)
Tomas Arana (Greg Portman)
Michele Lamar Richards (Nicki Marron)
Mike Starr (Tony Spicelli)
Christopher Birt (Henry)
DeVaughn Nixon (Fletcher "Fletch" Marron)
Gerry Bamman (Ray Court)
Joe Urla (Minella)


Ficha Técnica
título original:The Bodyguard
gênero:Ficção
duração:2 hr 9 min
ano de lançamento: 1992
estúdio: Warner Bros. / Kasdan Pictures / Tig Productions
distribuidora: Warner Bros.
direção: Mick Jackson
roteiro: Lawrence Kasdan
produção: Kevin Costner, Lawrence Kasdan e Jim Wilson
música: Allan Dennis Rich e Alan Silvestri
fotografia: Andrew Dunn
direção de arte: William Ladd Skinner
figurino: Susan Nininger
edição: Donn Cambern e Richard A. Harris
efeitos especiais: Alterian Studios / Pacific Titles & Optical






Premiações
OSCAR
Indicação:
Melhor Canção Original - "I Have Nothing"
Melhor Canção Original - "Run to You"

MTV MOVIE AWARDS
Ganhou
Melhor Canção - "I Will Always Love You"

Indicações
Melhor Filme
Melhor Ator - Kevin Costner
Melhor Atriz - Whitney Houston
Melhor Revelação - Whitney Houston
Melhor Dupla - Kevin Costner e Whitney Houston
Mais Gostoso - Kevin Costner


FRAMBOESA DE OURO
Indicações
Pior Filme
Pior Ator - Kevin Costner
Pior Atriz - Whitney Houston
Pior Revelação - equipe de Kevin Costner
Pior Equipe - Kevin Costner e Whitney Houston
Pior Canção Original - "Queen of the Night"
Pior Roteiro


Curiosidades
- O Guarda-Costas foi o primeiro filme estrelado por Whitney Houston;
- O roteiro de O Guarda-Costas foi inicialmente proposto para se tornar um filme na década de 70, quando seria estrelado por Diana Ross e Steve McQueen;
- O orçamento de O Guarda-Costas foi de US$ 16,6 milhões, sendo que o filme arrecadou mais de US$ 400 milhões nas bilheterias ao redor do planeta.



Música do Filme
Em inglês
I Will Always Love You
If I should stay
I would only be in your way
So I'll go, but I know
I'll think of you ev'ry step of the way

And I will always love you
I will always love you
You, my darling you
Hmm

Bittersweet memories
that is all I'm taking with me
So, goodbye. Please, don't cry
We both know I'm not what you, you need

And I will always love you
I will always love you


I hope life treats you kind
And I hope you have all you've dreamed of

And I wish to you, joy and happiness
But above all this, I wish you love

And I will always love you
I will always love you
I will always love you
I will always love you
I will always love you
I, I will always love you

You, darling, I love you
Ooh, I'll always, I'll always love you

Em português
Eu sempre te amarei
Se eu ficar,
Eu apenas estaria em seu caminho
Então eu irei embora, mas eu sei
Vou pensar em você a cada passo do caminho

E eu sempre amarei você
Eu sempre vou te amar
Você, meu querido você
Hmm

É só o que estou levando comigo
Então, adeus. Por favor, não chore
Ambos sabemos que não sou o que você precisa

E eu sempre amarei você
Eu sempre vou te amar
Espero que a vida te trate gentilmente
E eu espero que você tenha tudo que você sonhou
E eu desejo a você, alegria e felicidade
Mas, acima de tudo isso, eu te desejo amor

E eu sempre amarei você
Eu sempre vou te amar
Eu sempre vou te amar
Eu sempre vou te amar
Eu sempre vou te amar
Eu, eu vou sempre amar você



Você, querido, eu te amo
Ooh, eu sempre vou, eu sempre vou te amar

534 - ENDIABRADO - BREDAN FRASER & LIZ HURLEY (COMÉDIA)

Chegamos aos 50.000 acessos. Resta-nos agradecermos, obrigado, obrigado e muito obrigado! Isto nos estimula a continuarmos o nosso trabalho respeitoso, ético e transparente, elevando e valorizando o xadrez marabaense e regional. Agradecemos a Deus e que Ele possa iluminar aos enxadristas e simpatizantes, enfim, todos que nos dão o prazer de sua visita.

Sinopse: Elliot (Brendan Fraser) é um enfadonho programador de computadores que está perdidamente apaixonado por sua colega de trabalho Allison (Frances O'Connor). O problema é que ela não lhe dá a menor atenção. Para resolver isto, Elliot resolve vender sua alma ao Diabo (Elisabeth Hurley), que lhe dá 7 desejos para que possa enfim conquistar a garota dos seus sonhos.

Enredo:
Brendan Fraser não podia escapar de mais uma dessas. Em Endiabrado, Fraser faz o papel de Elliot, um nerd bem irritante que resolve fazer um pacto com o diabo para conquistar Alisson, o aparente amor de sua vida (com quem ele nunca conversou). Para quem gosta de comédias do estilo escrachado, achou um filme que vai adorar. Bom, o filme tenta demais ser engraçado, geralmente acaba sendo só ridículo? Certo. Mais o filme é bastante divertido.

Bom, surpreendentemente, endiabrado, apesar de ser, realmente, escrachado, é também engraçado, fazendo bem o estilo Brendan Fraser. Enquanto isso, Elizabeth Hurley, no papel do diabo, deixa o filme com um que a mais. O fato de o Diabo ser mulher é bem interessante, e Hurley abusa da sexualidade, sendo a personificação da luxúria.

Frances O’Connor(Alisson) que me desculpe, mas com alguém como Hurley durante todo o filme, Alisson parece apagada, sem brilho. Meio absurdo Elliot passar por tudo que passa por ela.

Bom, Elliot tem sete desejos para fazer ao diabo. Esses desejos são distorcidos no máximo possível pelo diabo. Mais ou menos aquela coisa: “Mas você não disse nada sobre isso”. Então se Eliot quer ser alto e forte, o diabo o deixa burro. Se quer ser poderoso e rico, o diabo o torna… Bom, vejam o filme, se não perde a graça!

O interessante de tudo é que os desejos parecem ocorrer em uma realidade paralela. E, sempre que Elliot decide desistir daquela realidade, digita “666″ no pager vermelho que o diabo lhe deu e volta para a verdadeira realidade, para onde o diabo estiver.

Muito bem, além de ser somente engraçado, o filme também é moralista. Ah, poxa, moralista? Mas calma, apesar de querer dar lição de moral no final, não é uma lição de moral tipo Shrek Terceiro, que acaba totalmente com o filme, é mais uma prolongação do filme, como se já fosse esperado por isso. É mais um auto-diagnostico do próprio personagem, e não uma dedada na cara.

Jutando isso com uma maquiagem de dar inveja a qualquer salão, transformando Fraser em figuras completamente cômicas, Endiabrado é um filme que vale ser visto.

Informações Técnicas
Título original do filme: Bedazzled
Gênero(s): Comédia, Fantasia, Romance
Assunto(s): Contrato com Diabo
Diretor(es): Harold Ramis
Produtor(es): Harold Ramis, Trevor Albert
Roteirista(s): Harold Ramis, Larry Gelbart, Peter Tolan
Ano de Lançamento: 2000

Atores Principais:
Brendan Fraser (Elliot)
Elizabeth Hurley (Diabo)
Frances O'Connor (Allison)
Orlando Jones (Dan)
Gabriel Casseus
Jim D. Hayes
Daniel L. Holmes
Rudolf Martin
Tamara Torres

Comentários:
10 Nota: Ótimo
24/09/2009 Por: Magno (41 anos)
Um filme super leve e engraçado pra se ver com a turma, e por incrível que pareça é inteligente.

11 Nota: Ótimo
30/12/2009 Por: Valmir Brega (32 anos)
Excelente, principalmente quando ele se torna jogador de basquete e dá entrevistas igual aos jogadores do futebol cearense. Recomendo.

12 Nota: Ótimo
29/01/2010 Por: Mireia Souza (26 anos)
Esse filme é ótimo. A gente ri do começo ao fim...

13 Nota: Ótimo
16/02/2010 Por: Daniel (15 anos)
Esse filme e muito bom, engraçado, com bons atores! Gostei muito da Diaba!

14 Nota: Ótimo
28/04/2010 Por: Rafael (42 anos)
Comédia muito bem realizada e inteligente, com presença dessa Diaba que faria a frase: "Vá pro inferno" extremamente prazerosa. Elisabeth Hurley, cadê você?

15 Nota: Ótimo
08/05/2010 Por: Roberta Cristina Pereira (18 anos)
Este filme foi ótimo muito emocionante, amei a diaba! E também o Elliot.

Fontes:

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

533 - TRAÍDOS PELO DESTINO (2000) DANA ASHBROOK

Patologista forense Michael Daniels retorna para sua cidade natal, quando seu irmão gêmeo desaparece. Ele se envolve com advogado de distrito de Kate, que foi namorada de infância do seu irmão, e cujo pai é prefeito da cidade. Michael acha que seu irmão está perseguindo ele e quando o prefeito é morto, ele acredita que seu irmão é o culpado. Mas local detetive Russell Stark acha que Michael é o verdadeiro criminoso.

O experiente patologista Michael Daniels (Dana Ashbrook) volta a sua cidade natal depois de vinte anos, para descobrir a verdade sobre o desaparecimento de seu irmão gêmeo. Quando chega lá, Michael percebe que, ao invés de um ambiente pacífico, o lugar está dominado por corrupção, intrigas e mistério. Isso não o impede de levar as investigações até o fim. Direção de Paul Cade.



Elenco e equipe




segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

532 - COCO CHANEL & IGOR STRAVINSKY - UM FILME SOBRE MODA

Este filme tem uma grande atmosfera e uma grande atriz no papel determinante. Anna Mouglalis é inacreditável. Eu acredito que seu caráter e o roteiro que o diretor quer mostrar devem ser uma lição para cada mulher que quer ser independente em nossos dias.


Coco Chanel, devotada a seu trabalho e apaixonada pelo charmoso e bem sucedido Arthur Boy, comparece ao Théâtre des Champs-Élysées, onde Igor Stravinsky mostra pela primeira vez a sinfonia "A Sagração da Primavera, também conhecido no seu título em francês "Le Sacre du Printemps" é um balé em dois atos que conta a história da imolação de uma jovem que deve ser sacrificada como oferenda ao Deus da primavera em um ritual primitivo, a fim de trazer boas colheitas para a tribo.


A música é de autoria do russo Igor Stravinsky, coreografia de Vaslav Nijinsky, e cenografia do arqueologista e pintor Nicholas Roerich, a obra teve a produção de Serge Diaghilev e estreou em 29 de maio de 1913 no Théâtre des Champs-Élysées em Paris.


Ela se encanta pela música, mas o público vaia uma obra revolucionária e moderna para seu tempo. Sete anos mais tarde, Coco e Igor se reencontram em situações opostas. Ela agora é uma estilista famosa, rica e respeitada, e vive a dor da morte de adorável amante Boy, enquanto ele vive em exílio na França após a Revolução Russa. A atração entre os dois é imediata. Coco o convida para se hospedar em sua casa de campo para compor; Igor aceita e muda-se com a mulher e filhos.


Um intenso romance então se inicia entre os dois artistas na fase mais criativa de suas carreiras. De um lado nós podemos ver uma história de amor entre dois povos diferentes, um pai de família e uma mulher que tinha somente um objetivo: para viver seu cada momento porque era seu último. Coco e Igor movem de lado suas opinião e culturas e deixam suas paixões guiá-las. Filme exibido no Festival de Cannes de 2009 e também no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo no ano passado.


Coco Chanel, devotada a seu trabalho e apaixonada pelo charmoso e bem sucedido Arthur Boy Capel, comparece ao Théâtre des Champs-Élysées, onde Igor Stravinsky mostra pela primeira vez a sinfonia A Sagração da Primavera. Ela se encanta pela música, mas o público vaia uma obra revolucionária e moderna para seu tempo.

Sete anos mais tarde, Coco e Igor se reencontram em situações opostas. Ela agora é uma estilista famosa, rica e respeitada, e vive a dor da morte de Boy, enquanto ele vive em exílio na França após a Revolução Russa. A atração entre os dois é imediata. Coco o convida para se hospedar em sua casa de campo para compor; Igor aceita e muda-se com a mulher e filhos. Um intenso romance então se inicia entre os dois artistas na fase mais criativa de suas carreiras.


Se houvesse uma eleição para musa do Festival de Cinema Francês Varilux deste ano, haveria grandes chances de que a francesa Anna Mouglalis fosse a escolhida. Alta e esguia, Anna parece desfilar naturalmente, além de ter um bom cartão de visita: em 2003, seu rosto foi escolhido por Karl Lagerfeld para representar a renomada marca francesa. Anos depois, seria a vez de ir mais fundo no mesmo universo como atriz, na pele da protagonista de ''Coco Chanel e Igor Stravinsky", longa de Jan Kounen que retrata um suposto romance entre a estilista e o compositor russo. Em passagem pelo Rio de Janeiro, onde participa da divulgação do filme (o evento se realiza até 10 de junho em nove cidades brasileiras), Anna falou ao UOL Cinema sobre Coco Chanel, considerada por ela um símbolo francês comparável à Torre Eiffel. "Meu principal desafio foi ser fiel ao que as pessoas acreditavam que ela era. Isso significa ser dura, às vezes grosseira ou tirana", diz.


A trama retrata o envolvimento entre os protagonistas, capaz de balançar a estabilidade familiar do músico, casado e com filhos. "O que fez ela se sentir atraída por ele foi o interesse por escândalo, mais do que por música", opina Anna. Logo no início, o filme - ambientado entre as décadas de 1910 e 1920 - mostra a apresentação da obra "A Sagração da Primavera", de Stravinsky (Mads Mikkelsen), no Teatro Champs Élysées de Paris. Enquanto o público se vê chocado e vaia, Chanel passa a ver o artista com encanto e, tempos depois, se oferece para ajudá-lo financeiramente.


Apesar dos diálogos pouco calorosos entre os dois, "Coco Chanel e Igor Stravinsky" expressa o desejo latente com cenas de sexo, para desespero de Mouglalis, que se diz pouco à vontade para gravá-las. "É a coisa mais chata que se tem que fazer no cinema", afirma. A atriz mencionou ainda o "concorrente" "Coco Antes de Chanel", com Audrey Tautou (lançado antes e com mais destaque que o filme de Kounen), e seu novo papel em uma comédia francesa.

Elenco
Mads Mikkelsen (Igor Stravinsky)
Anna Mouglalis (Coco Chanel)
Yelena Morozova (Catherine Stravinsky)
Natacha Lindinger (Misia Sert)
Grigori Manukov (Sergei Diaghilev)
Radivoje Bukvic (Grão duque Dimitri)
Nicolas Vaude (Ernest Beaux)
Anatole Taubman (Artur "Boy" Capel)
Clara Guelblum (Milène Stravinsky)
Maxime Daniélou (Théodore Stravinsky)
Sophie Hasson (Ludmilla Stravinsky)
Nikita Ponomarenko (Soulima Stravinsky)
Catherine Davenier (Marie)
Olivier Claverie (Joseph)
Marek Kossakowski (Vaslav Nijinsky)
Jérôme Pilement (Pierre Monteux)
Anton Yakovlev (Anton) ..

Fontes
http://pt.wikipedia.org/wiki/Coco_Chanel_%26_Igor_Stravinsky
http://www.imdb.com/title/tt1023441/
http://cinema.uol.com.br/ultnot/2010/06/07/atriz-de-coco-chanel-e-igor-stravinsky-nao-fica-a-vontade-com-cenas-de-sexo.jhtm

domingo, 12 de fevereiro de 2012

531 - BANDIDAS - PENÉLOPE CRUZ E SALMA HAYEK

A história é passada no México no final da década de 1880. Penélope Cruz é a destemida, rebelde e estonteante filha de um pequeno fazendeiro e Salma Hayek é uma bela e arrogante aristocrata mexicana que foi educada na Europa e aproveita os privilégios de uma vida protegida. Mas o destino coloca essas duas mulheres juntas quando um bando de capatazes, que trabalha para gananciosos barões de terras, rouba as terras de suas respectivas famílias atacando e assassinando aqueles a quem amam. Esses impiedosos fora-da-lei são liderados pelo cínico e elegante Tyler Jackson interpretado pelo cantor de música country, Dwight Yoakam. Decididas a resolver as coisas com suas próprias mãos, elas se tornam foras da lei e assaltante de bancos. Bandidas é um filme cheio de estilo com muita comédia e cenas de ação fascinantes que mistura vingança e sobrevivência, amizade e lealdade.

O filme retrata o México em uma época de transição, quando magnatas das grandes ferrovias americanas estão se estabelecendo e expandindo as estradas de ferro, durante o regime do déspota mexicano Porfírio Diaz. Com freqüência a terra é roubada e arrancada dos fazendeiros mexicanos. Quando Sarah Sandoval e Maria Alvarez se encontram pela primeira vez, essas duas mulheres que são opostos completos descobrem que elas não têm nada em comum - a não ser o objetivo comum de vingança e justiça. Suas personalidades entram em conflito, mas gradualmente, depois de um começo tempestuoso, elas tentam colocar sua rejeição mútua e suas diferenças de lado, para se tornarem parceiras no crime: as duas assaltantes de banco mais festejadas do México. No estilo de Robin Hood – elas roubam dos ricos para dar aos cidadãos pobres. Recebem assistência e proteção numa igreja, seu ‘refúgio’, através do padre da igreja local, seu amigo, Padre Paulo (José Maria Negri) que diz a elas: “se continuarem brigando feito cão e gato não vão durar até o dia seguinte”. Elas seguem seu conselho e dão uma trégua.

 
Elenco
Penélope Cruz (Maria Alvarez)
Salma Hayek (Sara Sandoval)
Steve Zahn (Quentin Cooke)
Dwight Yoakam (Tyler Jackson)
Denis Arndt (Ashe)
Audra Blaser (Clarissa)
Sam Shepard (Bill Buck)
Ismael Carlo (Don Diego)
Gary Cervantes (Pedro)
Humberto Elizondo (Governador)


Outras Informações
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos
Roteiro: Luc Besson E Robert Mark Kame
Estúdio: TF1 Film Productions / Ultra Films / Europa Corp. / A.J.O.Z. Films
Distribuição: Fox Filmes
Desenho de produção: Hugues Tissandier


Crítica ao Filme
O filme “Bandidas” é aquela típica produção que, apesar do apelo claramente pipoca, poderia render mais. Afinal, tem duas das atrizes latinas de maior evidência no momento (a mexicana Salma Hayek e a espanhola Penelope Cruz) e ainda coloca a dupla para interpretar personagens pouco comuns entre o chamado “sexo frágil”: ladras de banco e justiceiras, no México do final do século XIX.

Por que o público não esperaria, então, um filme no mínimo irreverente: repleto de sacadas, bons momentos de suspense durante os roubos e, claro, muito sex-appeal devido aos atributos físicos das protagonistas?

O que se vê na tela, no entanto, é uma produção com roteiro raso e com poucas cenas de ação empolgantes. A verdade é que os diretores estreantes - os noruegueses Espen Sandberg e Joachim Roenning - optaram por um tratamento por demais ingênuo para a história. Assim, esta produção certamente irá agradar apenas ao público em busca de diversão totalmente descartável.

Quem se dá bem na fita é o eterno coadjuvante Steve Zahn (de Sahara), que aqui ganha papel de galã, com o privilégio de ser disputado pelas duas moças.

Mais um fato curioso: o filme tem roteiro e produção de Luc Besson, que, na direção, foi responsável por filmes bem melhores, como Nikita, Imensidão Azul, O Profissional e O Quinto Elemento.


Informações Técnicas
Título no Brasil: Bandidas
Título Original: Bandidas
País de Origem: França / México / EUA
Gênero: Ação
Tempo de Duração: 93 minutos
Ano de Lançamento: 2006
Estréia no Brasil: 07/07/2006
Estúdio/Distrib.: Fox Film
Direção: Joachim Roenning / Espen Sandberg
Fotografia: Thierry Arbogast
Produção: Luc Besson
Edição: Frédéric Thoraval
Figurino: Olivier Bériot
Música: Eric Serra

 
Fontes